quinta-feira, 13 de maio de 2010

Aumento de impostos. Inevitável !?


O Governo não perdeu tempo e já aprovou, no conselho de ministro de hoje, o aumento do IVA, do IRS e o corte dos salários em 5%.
O aumento de impostos, nomeadamente IVA, IRS e IRC, assim como o corte da despesa foram aprovados na reunião de hoje.
A taxa normal de IVA sobe de 20 para 21% e o IRS sofre um aumento de 1% até cinco salários mínimos (2.375 euros por mês) e de 1,5% acima deste valor.
DE
Numa visão mais simplista pode-se dizer que os políticos gastam e nós pagamos. Mas vendo, melhor, na senda do PEC e por imposição da Alemanha como locomotiva da Europa que não está disposta a pagar a factura dos desmandos de outros governos nomeadamente os grandes especuladores(agências de raiting) e, nomeadamente da valorização do dolár em relação ao euro e, o efeito dos desmandos da Grécia; Espanha e por incrivél que pareça a Grã-Bretanha e França, mais uma vez, quem paga é sempre o mesmo : o povo que é o que paga sempre a conta. Convém que estes cortes sejam repartidos pelos governantes, nos lucros brutais dos bancos e, nos gestores das grandes empresas e fortunas, se não é pior a "emenda do que o soneto".

5 comentários:

anaferro disse...

Convir, convinha sempre. Assim como convinha que este Sócrates ganhasse vergonha na cara. Mas isto não vai assim, é preciso o povo acordar e lembrar-se de se mobilizar para as coisas práticas da vida.

E no fundo, no fundo, só estamos a ter aquilo que uma quase maioria de pessoas pediram quando votaram neste senhor. As alternativas não eram muitas, bem sei, mas por vezes mudar dentro do mau também faz bem para baixar egos demasiado inflamados como o deste senhor que pelos vistos o que tem mais é cara de pau. Era tudo foguetes e recods para o Guiness que não se lembrou que estas coisas poderiam acontecer. E é sempre mais fácil ir ao bolso alheio. Eles ainda têm muitas jantaradas para fazer e passeios e passeatas à custa aqui dos morcões que somos nós.

Um beijinho, tranquilo, apesar da revolta :)

ergela disse...

Sabes Ana, a revolta que tu sentes faz todo o sentido. Agora pergunto? Consegues ver políticos em Portugal capazes de fazer melhor? Sem demagogias e falsas promessas, que não passam de balsámos para alguns, o problema já o Eça dizia "Portugal sempre foi ingorvenável" porque os políticos pensam mais nas suas "quintas" políticas, do que no bem estar do povo que os elege, é só olhar para as recentes eleições inglesas, o círculo eleitoral só elege um deputado, ou seja: esse deputado é renponsável e responsabilizado por aquilo que faz ou não faz no seu círculo, a isto chama-se democracia participativa, aqui em Portugal, um deputado por exemplo, nascido em trás-os-montes pode ser eleito pelo algarve, que conhecimento tem este individuo de uma zona que nada lhes diz.Se vires no países anglo-saxónicos podem mudar os governos, mas nas grandes decisões não se mexe. Em Portugal é precisamente o contrário anda todo ao sabor das conviniências politíco ou eleitorais. Por todo isto, num país periférico e pequeno, onde a mentalidade condiz com a grandeza do país.
Um beijo.
Beijos.

*Maluh Mah* Marinha Luiza disse...

Infelizmente, em qualquer lugar do mundo, o povo sempre paga a conta.

anaferro disse...

Ergela,

talvez seja uma visão utópica e pouco realista. Mas eu acho que se criássemos tradição na participação nas eleições, talvez a nossa voz fosse mais forte. Agora, ele faz asneiras, nas eleições a seguir, apesar das alternativas serem más, não se castiga, ou castiga-se relativamente, e depois andamos 4 anos a queixar-nos da porcaria que nós mesmos fizemos. Eu não tenho partido político, onde voto em plena consciência da pessoa em que estou a votar e respectiva equipa é para a junta da minha freguesia, tudo o resto é pura estratégia para que aconteça aquilo que eu acho certo: faz asneira, sai. Pior não podíamos estar.

Para mim, como já disse noutros blogues, primeiramente, este povo devia perceber que tem culpa nisto. E devíamos não nos desresponsabilizar também dos maus acontecimentos. Devíamos participar mais, unir-nos mais, ter uma mentalidade mais condizente com aquilo que desejamos ser: um país cada vez mais desenvolvido. E não sermos um bando de morcões, como se diz por aqui, que depois se anda a queixar parecendo que somos só fado.

É da sociedade que os políticos vêm, já que eles não se tocam a eles mesmos pois não têm incentivo para isso, porque não tentarmos nós mobilizar-nos como o fazemos para o futebol e para a religião?

Beijinhos grandes ;)

Emilia disse...

Pois mas as alternativas...?
Nem baralhando e dando de novo...