quinta-feira, 21 de maio de 2009

Bué de fixe...

Apresento-vos aqui uma transcrição de um diálogo entre duas jovesns dos seus 16; 17 anos bem compostas e visivelmente filhas de boas famlías, num transporte público em que me fazia transportar :
- Ouve minha o gajo é bué dé bom, até o papava todo, tás a ver ?
- Mas quem é o pão ?
- Ouve minha ! Não sei, nem quero saber, no sábado curtimos um cóche, mas sabes, como ele não tinha prevas, foi assim uma cena bué de chata.
-Mas tu "coisa e tal" com ele? Até o chupei todo, o gajo era magricelas, ainda ficou mas pele e osso. tás a ver, mas a cena foi assim altamente.
-E contás-te à tua velha ?
-Quem eu contar à cota ? Tás tantan da carola, ou quê ?
-Foi uma cena, assim bué de surreal lá na casa dele, mas foi um must, podes crer.


E a conversa continuou nestes termos mais ou menos, agora eu pergunto, o que fazem os pais a estas crianças, o que faz a escola, o que faz a sociedade ? Nada, perde-se tempo e recursos, em tricas e guerras de alecrim e manjerona.

Meus, esta cena é bué de foleira !

3 comentários:

Sanxeri disse...

Crianças ressabiadas. Xiça. Ide mas é fazer tricot.

Kitty disse...

Infelizmennte cada vez se encontra mais disto. O mais triste é as mulheres já terem perdido a noção do que é respeitar o corpo.

ergela disse...

E só revelo uma pequena parte do "reportório", aqui o quero realçar é a linguagem usada e obviamente miúdas novas de 16 ou 17anos, pelos vistos já começaram a sua vida sexual, não agora, mas por certo bastante mais cedo, por isso em vez de pôr professores de história a dar a aulas de educação sexual, em vez de técnicos da área,mais uma vez estamos a fazer as coisas em cima do joelho, estamos a lidar com jovens, que serão adultos mais tarde, e vão fazer o mesmo aos seus filhos desejados ou não, a coisa torna-se uma bola de neve imparável.

Obrigado às duas pela vossa opinião.

Beijo meu às duas.