quarta-feira, 30 de junho de 2010

Obviamente demita-se.


7 comentários:

anaferro disse...

Sim, sim, sim!

E o nosso caro CR a perder a braçadeira de capitão.

Estou farta de vedetismos e incoerências.

O Queiroz a dizer que o Hugo Almeida estava exausto e o rapaz, quando questionado, disse que não estava cansado!

E o puto, mimadinho, com ataques de birrice. Ou burrice. Porque ser o melhor do mundo e capitão não é aquilo. O tom com que disse, não há comunicados que lhe valham. Estava caladinho que é como ele está melhor.

De resto, nada a dizer dos jogadores. E o Eduardo, fantástico, senão ontem tínhamos levado meia dúzia.

Apostei que ganhávamos ontem, achei que no tudo ou nada íamos mesmo vingar. Porque normalmente não alinho em histerias e castelos de areia. Não foi assim, agora é ver o porquê e seguir em frente.

Beijinhos, Ergela. Tenho sentido a falta dos textinhos por aqui mas espero que os dias estejam a ser cheios de coisas boas :)

Lia disse...

ele não chega lá sozinho... não será capaz de retirar ilações do percurso português!

Crazy disse...

Amen!
Eu cá gosto é do Scolari

*Maluh Mah* Marinha Luiza disse...

Crazy, o Scolari é muito bom mesmo: é brasileiro!
(Pena que não está no comando da seleção atualmente e, creio eu, que tbm vamos para o espaço...)

mademoisellejoanne disse...

por favor sim.

ergela disse...

Ana; Lia;Crazy;Marinha Luiza e mademoisellejoanne, de facto anda com muito pouco tempo para estar na vossa maravilhosa companhia, coisas da vida.
Beijinhos e obridado pelos vossos comentários.

Nota do editor: Já lá dizia aquele "famoso político ???" que um dia dizia "mas ando por aí".

Dylan disse...

Penso que o sucesso da Selecção portuguesa no Mundial já estava condenado ao fracasso através de uma convocatória inicial inquinada. De facto, desde opções maioritariamente defensivas que encurtaram o poder ofensivo, passando por naturalizados birrentos em fim de carreira, juntou-se uma gritante falta de ambição. Ao nacionalismo bacoco de cerveja na mão, exacerbado com a goleada à pior selecção do Mundial e apoiado no histerismo da imprensa desportiva, acrescentou-se a vaidade do capitão, ameaçando imolar-se em ketchup! Bastou um tiro da armada invencível para afundar a nau Catrineta, pondo a nu os pecados da FPF, refém de interesses económicos e clubísticos, ou não tivesse esta perdido o estatuto de utilidade pública desportiva.